"Sou como a haste fina que qualquer brisa verga, mas nenhuma espada corta."

Antes de julgar a minha vida ou o meu caráter, calce os meus sapatos e percorra o caminho que eu percorri, viva as minhas tristezas, as minhas dúvidas e as minhas alegrias. Percorra os anos que eu percorri, tropece onde eu tropecei e levante-se assim como eu fiz. E então, só aí poderás julgar. Cada um tem a sua própria história. Não compare a sua vida com a dos outros. Você não sabe como foi o caminho que eles tiveram que trilhar na vida.”

"Não julgue os outros só porque os pecados deles são diferentes dos seus."


Oração Diária _( Clique)

domingo, 26 de junho de 2016

Aos poucos voltando a minha antiga paixão.




"Você não fotografa com a sua câmera.
Você fotografa com toda a sua cultura"

Sebastião Salgado




quinta-feira, 23 de junho de 2016




" Minha estrada é outra e meus passos são novos. Se eu não mudar, nunca vou poder dizer que meu processo é de evolução e cura. Me comprometi com o respeito, a delicadeza, a paz. E é isso que vai deitar comigo diariamente quando eu estiver pronta pra dormir o sono dos pretensos justos.
Paciência e compreensão resolvem muita coisa, pelo menos dentro de nós."



Marla de Queiroz


quarta-feira, 22 de junho de 2016




Então, sem mais, quero te dizer adeus-até nunca mais-seja feliz. Porque por mais que você tenha me dado algo, você me tirou muito mais.

terça-feira, 21 de junho de 2016


"Tudo que é seu encontrará alguma forma de chegar até você."


Chico Xavier

domingo, 12 de junho de 2016

"Um mero rascunho, mas foi divindade."


"Foi só um ensaio
Foi só um insight
Durou muito pouco
Doeu muito mais"

"Não importam os anos, certas coisas simplesmente permanecem."


"[...] e aquela pessoa continua e continuará a ser nossa referencia afetiva mais sincera e profunda. Não é doença nem obsessão.
Alias não é nada, só amor..."



sábado, 11 de junho de 2016




"E quando a tempestade tiver passado, mal te lembrarás de ter conseguido atravessá-la, de ter conseguido sobreviver.  Nem sequer terás a certeza de a tormenta ter realmente chegado ao fim. Mas uma coisa é certa. 
Quando saíres da tempestade já não serás a mesma pessoa. 
Só assim as tempestades fazem sentido."


Haruki Murakami


terça-feira, 7 de junho de 2016


O direito ao delírio.

 


"Mesmo que não possamos adivinhar o tempo que virá, temos ao menos o direito de imaginar o que queremos que seja.
As Nações Unidas tem proclamado extensas listas de Direitos Humanos, mas a imensa maioria da humanidade não tem mais que os direitos de: ver, ouvir, calar.
Que tal começarmos a exercer o jamais proclamado direito de sonhar?
Que tal se delirarmos por um momentinho?
Ao fim do milênio vamos fixar os olhos mais para lá da infâmia para adivinhar outro mundo possível.
O ar vai estar limpo de todo veneno que não venha dos medos humanos e das paixões humanas.
As pessoas não serão dirigidas pelo automóvel, nem serão programadas pelo computador, nem serão compradas pelo supermercado, nem serão assistidas pela televisão.
A televisão deixará de ser o membro mais importante da família.
As pessoas trabalharão para viver em lugar de viver para trabalhar.
Se incorporará aos Códigos Penais o delito de estupidez que cometem os que vivem por ter ou ganhar ao invés de viver por viver somente, como canta o pássaro sem saber que canta e como brinca a criança sem saber que brinca.
Em nenhum país serão presos os rapazes que se neguem a cumprir serviço militar, mas sim os que queiram cumprir.
Os economistas não chamarão de nível de vida o nível de consumo, nem chamarão qualidade de vida à quantidade de coisas.
Os cozinheiros não pensarão que as lagostas gostam de ser fervidas vivas.
Os historiadores não acreditarão que os países adoram ser invadidos.
O mundo já não estará em guerra contra os pobres, mas sim contra a pobreza.
E a indústria militar não terá outro remédio senão declarar-se quebrada.
A comida não será uma mercadoria nem a comunicação um negócio, porque a comida e a comunicação são direitos humanos.
Ninguém morrerá de fome, porque ninguém morrerá de indigestão.
As crianças de rua não serão tratadas como se fossem lixo, porque não haverá crianças de rua.
As crianças ricas não serão tratadas como se fossem dinheiro, porque não haverá crianças ricas.
A educação não será um privilégio de quem possa pagá-la e a polícia não será a maldição de quem não possa comprá-la.
A justiça e a liberdade, irmãs siamesas, condenadas a viver separadas, voltarão a juntar-se, voltarão a juntar-se bem de perto, costas com costas.
Na Argentina, as loucas da Praça de Maio serão um exemplo de saúde mental, porque elas se negaram a esquecer nos tempos de amnésia obrigatória.
A perfeição seguirá sendo o privilégio tedioso dos deuses, mas neste mundo, neste mundo avacalhado e maldito, cada noite será vivida como se fosse a última e cada dia como se fosse o primeiro."


Eduardo Galeano


"Repara bem no que desejou, conseguiu e como está lidando com isto. Repara que não há felicidade sem provação e que a rotina não se transforma sozinha. Repara que se não nos movimentarmos em direção à harmonia, valorizando o que temos ao invés de supervalorizar os desconfortos, nosso crescimento pessoal, emocional e espiritual está ameaçado. A alegria é consequência de um processo de determinação e ação para obtê-la. Não espere que o que tem não esteja mais aqui para lamentar o abraço não dado, a carícia que não foi feita no descuido de um fragmento de tempo. Que se queremos da vida a plenitude em todos os aspectos, temos, antes de tudo, que saber administrá-los. 
Se você está no trabalho, trabalhe.
Se está em casa, esteja em casa.
Se está sozinho, aproveite esta solitude para crescer.
Se está acompanhado, apreenda o Universo de cada um que o rodeia.
Não espere para valorizar quando outro tiver aquilo que já foi seu porque descobriu antes de você o valor que aquilo, aquela pessoa tem. 
Repara, repara bem. E se isto tudo não tiver importância, esqueça.
Mas não lamente."



Marla de Queiroz

domingo, 5 de junho de 2016



"Amor não é paixão. Fazer sexo não é fazer amor. Ódio não é amor. Amor não é fogo, não é chama, não é amizade, não é casamento, nem compromisso. Amor não é namorar, não é chorar, não é beijar, não é desejar, não é saudade. Amar não é estar-se preso por vontade. Não é servir quem vence o vencedor. Amor não se gasta. É a única coisa que quanto mais se dá, mais se multiplica. Amor não prende, liberta. Por amor não se luta, posto que ambos lados sempre vencem. Amor é cooperação. Amor não se vê com os olhos, mas com o coração. Não se mede, não se recicla, não se repõe, não se transforma, não se corresponde. Amor não vai. Amor é o que fica. Amor é resto. Amor é o que sobra do que foi supracitado. Amor não é onda, é o mar. É o companheiro que não abandona depois que todas as fervorosas sensações se foram. Paixão, ódio, saudade, sexo, casamento, desejo são como trens. Amor é estação." 


Gabito Nunes - Amor é sobra




"Porque era para ser tão simples: e tudo viria ao encontro depois de andarmos o caminho justo. Mas a inabilidade afetiva foi deixando a grama virar mato, a ponte ruir, o asfalto afundar, as estradas cobrirem-se de ervas daninhas. Nossos passos desviando dos insetos até não poderem mais seguir. E ficamos a um palmo um do Outro. A um quarto de hora de uma vida toda. A um olhar arrependido. Nós nos víamos e as mãos não alcançavam mais. O pequeno abismo ainda era maior que nossas pernas. Fomos lentos em nossa saudade: A vontade procrastinou até que, no último minuto, era tarde."


Marla de Queiroz



terça-feira, 31 de maio de 2016



"A existência na Terra é um livro que estás escrevendo. Cada dia é uma página. Cada hora é uma afirmação de tua personalidade através das pessoas e das situações que te buscam.
Não menosprezes o ensejo de criar uma epopeia de amor em torno de teu nome.
As boas obras são frases de luz que endereças à humanidade inteira.
Em cada resposta aos outros, em cada gesto aos semelhantes, em cada manifestação dos teus pontos de vista e em cada demonstração de tua alma, grafas com tinta perene, a história de tua passagem. Nas impressões que produzes, ergue-se o livro dos teus testemunhos.
A morte é a grande colecionadora que recolherá as folhas de tua biografia, gravada por ti mesmo, nas vidas que te rodeiam.
Não desprezes, assim, a companhia da indulgência, através da senda que o Senhor te deu a trilhar.
Faze uma área de amor ao redor do próprio coração, porque só amor é suficientemente forte e sábio para orientar sua escritura individual, convertendo-a em compêndio de auxilio e esperança para quantos te seguem os passos.
Vive, pois com Jesus, na intimidade do coração, não te afastes d'Ele em tuas ações de cada dia e o livro de tua vida converter-se-á num poema de felicidade e num tesouro de bençãos."



Emmanuel


 

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Feliz, completa, realizada, só tenho a agradecer ao meu grande e bondoso Deus. Obrigada!




" Que eu envelheça, que na minha pele, possam surgir todas as possíveis rugas.
Mas, que meu coração, jamais fique indiferente ao amor.
Que eu nunca, perca o poder de demonstrar um gesto de ternura."






"Aprendi que o amor chega na hora certa e só permanece quando é verdadeiro, que a maturidade vem aos poucos e que nunca devemos deixar morrer a criança que existe dentro de nós. Aprendi que família é tudo, que amigos bons e sinceros são poucos, que cuidar da própria vida é a melhor opção, que julgamentos alheios devem ser ignorados porque só nós sabemos as escolhas que tivemos que fazer durante a nossa caminhada e o quanto isso nos custou dores e lágrimas, que dias melhores sempre virão por mais difíceis que alguns dias pareçam ser. O sol sempre volta a brilhar! Aprendi que na vida nem tudo e nem todos valem a pena e que minha felicidade depende somente de mim e de quem acolho em meu coração. Aprendi a me amar acima de tudo e que cada ruga no meu rosto e cada marca no meu corpo são sinais que estou vivendo e tenho que fazer dessa vida uma boa jornada, pois o que vai ficar de mim é a minha essência, o amor que eu distribui, os sorrisos que causei. Aprendi a agradecer a Deus cada momento da minha vida e principalmente a agradecer por todas as pessoas que fizeram e fazem parte dessa minha jornada de 40 anos, cada uma delas me deixou o que tinha, aprendi a selecionar só as coisas boas que me deixaram e a abençoar e perdoar aquelas que de alguma maneira me machucaram, afinal elas, assim como eu estão apenas de passagem por aqui, tentando evoluir.

Agradeço a Deus principalmente por ter me dado a dadiva de ser mãe, por ter me presenteado com meu filho e minha família linda e com eles ter aprendido a amar incondicionalmente. Obrigada meu Deus por mais um ano de vida! Agradeço por cada recado carinhoso que tenho recebido hoje."


sexta-feira, 20 de maio de 2016



"Eu me pergunto, se as estrelas são iluminadas para que cada um possa um dia encontrar a sua. "


O Pequeno Príncipe


terça-feira, 17 de maio de 2016

“Respeite a você mais do que aos outros”


"Não pense que a pessoa tem tanta força assim a ponto de levar qualquer espécie de vida e continuar a mesma. Nem sei como lhe explicar minha alma. Mas o que eu queria dizer é que a gente é muito preciosa, e que é somente até um certo ponto que a gente pode desistir de si própria e se dar aos outros e às circunstâncias.
Pretendia apenas lhe contar o meu novo carácter, ou falta de carácter. Os últimos quatro anos me transformaram muito. Do momento em que me resignei, perdi toda a vivacidade e todo interesse pelas coisas. Você já viu como um touro castrado se transforma num boi? Assim fiquei eu… em que pese a dura comparação…
Para me adaptar ao que era inadaptável, para vencer minhas repulsas e meus sonhos, tive que cortar meus grilhões – cortei em mim a forma que poderia fazer mal aos outros e a mim. E com isso cortei também minha força. Espero que você nunca me veja assim resignada, porque é quase repugnante.
Uma amiga, um dia desses, encheu-se de coragem, como ela disse, e me perguntou: você era muito diferente, não era? Ela disse que me achava ardente e vibrante, e que quando me encontrou agora se disse: ou essa calma excessiva é uma atitude ou então ela mudou tanto que parece quase irreconhecível. Uma outra pessoa disse que eu me movo com lassidão de mulher de cinquenta anos.
O que pode acontecer com uma pessoa que fez pacto de boa vontade com todos e que se esqueceu de que o seu nó vital deve ser respeitado? Ouça: respeite a você mais do que aos outros, respeite suas exigências, respeite mesmo o que é ruim em você – respeite sobretudo o que você imagina que é ruim em você – pelo amor de Deus, não queira fazer de você uma pessoa perfeita – não copie uma pessoa ideal, copie você mesma – é esse o único meio de viver."
Clarice Lispector - “Carta a Tânia, irmã de Clarice (1947)