"Sou como a haste fina que qualquer brisa verga, mas nenhuma espada corta."

Antes de julgar a minha vida ou o meu caráter, calce os meus sapatos e percorra o caminho que eu percorri, viva as minhas tristezas, as minhas dúvidas e as minhas alegrias. Percorra os anos que eu percorri, tropece onde eu tropecei e levante-se assim como eu fiz. E então, só aí poderás julgar. Cada um tem a sua própria história. Não compare a sua vida com a dos outros. Você não sabe como foi o caminho que eles tiveram que trilhar na vida.”

"Não julgue os outros só porque os pecados deles são diferentes dos seus."


Oração Diária _( Clique)

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Feliz, completa, realizada, só tenho a agradecer ao meu grande e bondoso Deus. Obrigada!



" Que eu envelheça, que na minha pele, possam surgir todas as possíveis rugas.
Mas, que meu coração, jamais fique indiferente ao amor.
Que eu nunca, perca o poder de demonstrar um gesto de ternura."



"Aprendi que o amor chega na hora certa e só permanece quando é verdadeiro, que a maturidade vem aos poucos e que nunca devemos deixar morrer a criança que existe dentro de nós. Aprendi que família é tudo, que amigos bons e sinceros são poucos, que cuidar da própria vida é a melhor opção, que julgamentos alheios devem ser ignorados porque só nós sabemos as escolhas que tivemos que fazer durante a nossa caminhada e o quanto isso nos custou dores e lágrimas, que dias melhores sempre virão por mais difíceis que alguns dias pareçam ser. O sol sempre volta a brilhar! Aprendi que na vida nem tudo e nem todos valem a pena e que minha felicidade depende somente de mim e de quem acolho em meu coração. Aprendi a me amar acima de tudo e que cada ruga no meu rosto e cada marca no meu corpo são sinais que estou vivendo e tenho que fazer dessa vida uma boa jornada, pois o que vai ficar de mim é a minha essência, o amor que eu distribui, os sorrisos que causei. Aprendi a agradecer a Deus cada momento da minha vida e principalmente a agradecer por todas as pessoas que fizeram e fazem parte dessa minha jornada de 40 anos, cada uma delas me deixou o que tinha, aprendi a selecionar só as coisas boas que me deixaram e a abençoar e perdoar aquelas que de alguma maneira me machucaram, afinal elas, assim como eu estão apenas de passagem por aqui, tentando evoluir.
Agradeço a Deus principalmente por ter me dado a dadiva de ser mãe, por ter me presenteado com meu filho e minha família linda e com eles ter aprendido a amar incondicionalmente. Obrigada meu Deus por mais um ano de vida! Agradeço por cada recado carinhoso que tenho recebido hoje."

sexta-feira, 20 de maio de 2016



"Eu me pergunto, se as estrelas são iluminadas para que cada um possa um dia encontrar a sua. "


O Pequeno Príncipe


terça-feira, 17 de maio de 2016

“Respeite a você mais do que aos outros”


"Não pense que a pessoa tem tanta força assim a ponto de levar qualquer espécie de vida e continuar a mesma. Nem sei como lhe explicar minha alma. Mas o que eu queria dizer é que a gente é muito preciosa, e que é somente até um certo ponto que a gente pode desistir de si própria e se dar aos outros e às circunstâncias.
Pretendia apenas lhe contar o meu novo carácter, ou falta de carácter. Os últimos quatro anos me transformaram muito. Do momento em que me resignei, perdi toda a vivacidade e todo interesse pelas coisas. Você já viu como um touro castrado se transforma num boi? Assim fiquei eu… em que pese a dura comparação…
Para me adaptar ao que era inadaptável, para vencer minhas repulsas e meus sonhos, tive que cortar meus grilhões – cortei em mim a forma que poderia fazer mal aos outros e a mim. E com isso cortei também minha força. Espero que você nunca me veja assim resignada, porque é quase repugnante.
Uma amiga, um dia desses, encheu-se de coragem, como ela disse, e me perguntou: você era muito diferente, não era? Ela disse que me achava ardente e vibrante, e que quando me encontrou agora se disse: ou essa calma excessiva é uma atitude ou então ela mudou tanto que parece quase irreconhecível. Uma outra pessoa disse que eu me movo com lassidão de mulher de cinquenta anos.
O que pode acontecer com uma pessoa que fez pacto de boa vontade com todos e que se esqueceu de que o seu nó vital deve ser respeitado? Ouça: respeite a você mais do que aos outros, respeite suas exigências, respeite mesmo o que é ruim em você – respeite sobretudo o que você imagina que é ruim em você – pelo amor de Deus, não queira fazer de você uma pessoa perfeita – não copie uma pessoa ideal, copie você mesma – é esse o único meio de viver."
Clarice Lispector - “Carta a Tânia, irmã de Clarice (1947)

segunda-feira, 16 de maio de 2016



"Sempre preferi uma despedida honesta à permanência resignada, acho mais justos os pontos finais aos pontos de interrogação. Eles me mostram que cada pessoa que se despede de mim forma um caminho pra alguém encontrar - e acho que isso pode acontecer. Gastamos horas do nosso dia, dias da nossa vida, com pessoas que não vão ficar. E ainda que há quem diga que não vale a pena, eu já não penso assim: Para descobrir o que deve ficar, primeiro a gente aprende o que deve ir."


Celio Heitor Sordi

domingo, 15 de maio de 2016

Genial!


“A gente aceitou a truculência e

convive diariamente com a estupidez e a

imbecilidade” 


Elis Regina

sábado, 14 de maio de 2016

sábado, 7 de maio de 2016

A CONFISSÃO FINAL (Meu pé de laranja lima)





"Os anos se passaram, meu caro Manuel Valadares.
Hoje tenho quarenta e oito anos e às vezes na minha saudade eu tenho impressão que continuo criança. Que você a qualquer momento vai me aparecer me trazendo figurinhas de artista de cinema ou bolas de gude.
Foi você, quem me ensinou a ternura da vida, meu Portuga querido. Hoje sou eu que tenho distribuir as bolas e as figurinhas, porque a vida sem ternura não é lá grande coisa. Às vezes sou feliz na minha ternura, às vezes me engano, o que é mais comum.

Naquele tempo. No tempo de nosso tempo, eu não sabia que muitos anos antes, um Príncipe Idiota ajoelhado diante de um altar perguntava aos ícones, com os olhos cheios d'água:

"PORQUE CONTAM COISAS ÀS CRIANCINHAS?"

A verdade, meu querido portuga, é que a mim contaram as coisas muito cedo.
Adeus!

Utabuta,1967 "


*Em memória da minha tia Nilza

quarta-feira, 4 de maio de 2016

MÚSICA DO DIA!


Porque o que foi belo  não acaba nunca. Porque eu nunca vou esquecer quem ficou do meu lado no meu pior momento, quem me deu ombro, secou minhas lágrimas, segurou minha mão. Porque eu nunca vou esquecer quem me compreendeu, não me julgou mesmo quando tive atitudes egoístas e só pensei em mim. Porque eu nunca vou esquecer que meu primeiro beijo teve gosto de creme dental as 7 da manhã de um dia nublado.


domingo, 1 de maio de 2016



"Dai-me a casa vazia e simples onde a luz é preciosa. Dai-me a beleza intensa e nua do que é frugal. Quero comer devagar e gravemente como aquele que sabe o contorno carnudo e o peso grave das coisas.
Não quero possuir a terra mas ser um com ela. Não quero possuir nem dominar porque quero ser: esta é a necessidade.
Com veemência e fúria defendo a fidelidade ao estar terrestre. O mundo do ter perturba e paralisa e desvia em seus circuitos o estar, o viver, o ser. Dai-me a claridade daquilo que é exactamente o necessário. Dai-me a limpeza de que não haja lucro. Que a vida seja limpa de todo o luxo e de todo o lixo. Chegou o tempo da nova aliança com a vida."


Sophia de Mello Breyner Andresen


sábado, 30 de abril de 2016


"De repente a gente acorda e decide dar um novo rumo à nossa vida. Em busca daquele projeto tão sonhado e que fora alimentado há anos, aparentemente esquecido, ou adiado em razão de determinadas circunstâncias. Chega um momento que tudo parece fora de lugar, que não mais se encaixa, como se tivesse faltando um pedaço; ou se enquadra, como uma fotografia velha num ambiente arrojado. O tempo passa, o mundo se transforma. A gente muda ou sente a necessidade de mudança. Todo dia é novo. É a vida em movimento, nos pedindo abre alas. Então, a gente decide abandonar as roupas usadas, sentir outros ares, redescobrir-se, se vestir do novo que virá. E seguimos na contradança dos passos, engrenados por desejos, indo ao encontro de nós mesmos, em busca de respostas para nossas inquietações. É óbvio que ninguém tem a fórmula certa, uma bússola que indique qual o melhor caminho ou a escolha perfeita. Talvez, tomar aquele percurso, pegar àquela estrada, não seja a decisão mais acertada, mas se não nos movermos nunca saberemos aonde chegar. Adentraremos tão somente no campo da imaginação, presos ao nada, aquém das realizações, frustrados por não termos a coragem suficiente para ir além."

Angella Reis
Arte: Ana Clara Tissot



sexta-feira, 29 de abril de 2016


10 anos depois e eu volto ao lugar onde nos divertimos muito, um misto de saudades e alegria por ter compartilhado com minha tia Nilza e minha vó Antônia momentos como esse. Por isso não canso de repetir; se quiser amar, compartilhar, abraçar, beijar faça hoje, agora. Nunca sabemos quando pode ser a ultima vez. Saudades não trás ninguém de volta mas as lembranças dos momentos vividos juntos é como um bálsamo na  ferida sempre aberta que a morte deixa em nosso coração.


terça-feira, 26 de abril de 2016






"Eu sei. Eu creio. Eu peço. Eu oro. E Deus me diz pra eu esperar (e para arar os campos) porque a chuva sempre vem."


Elenita Rodrigues

sábado, 23 de abril de 2016




Salve meu pai Ogum que me guia por esses caminhos, me ensinando a dançar com meus dragões.
Salve São Jorge, Salve Ogum!

Salve Jorge, salve Ogum! Ogunhê meu Pai.


quarta-feira, 13 de abril de 2016


"Como é que se esquece alguém que se ama? Como é que se esquece alguém que nos faz falta e que nos custa mais lembrar que viver? Quando alguém se vai embora de repente como é que se faz para ficar? Quando alguém morre, quando alguém se separa - como é que se faz quando a pessoa de quem se precisa já lá não está?
As pessoas têm de morrer; os amores de acabar. As pessoas têm de partir, os sítios têm de ficar longe uns dos outros, os tempos têm de mudar Sim, mas como se faz? Como se esquece? Devagar. É preciso esquecer devagar. Se uma pessoa tenta esquecer-se de repente, a outra pode ficar-lhe para sempre. Podem pôr-se processos e acções de despejo a quem se tem no coração, fazer os maiores escarcéus, entrar nas maiores peixeiradas, mas não se podem despejar de repente. Elas não saem de lá. Estúpidas! É preciso aguentar. Já ninguém está para isso, mas é preciso aguentar. A primeira parte de qualquer cura é aceitar-se que se está doente. É preciso paciência. O pior é que vivemos tempos imediatos em que já ninguém aguenta nada. Ninguém aguenta a dor. De cabeça ou do coração. Ninguém aguenta estar triste. Ninguém aguenta estar sozinho. Tomam-se conselhos e comprimidos. Procuram-se escapes e alternativas. Mas a tristeza só há-de passar entristecendo-se. Não se pode esquecer alguém antes de terminar de lembrá-lo. Quem procura evitar o luto, prolonga-o no tempo e desonra-o na alma. A saudade é uma dor que pode passar depois de devidamente doída, devidamente honrada. É uma dor que é preciso aceitar, primeiro, aceitar. 
É preciso aceitar esta mágoa esta moinha, que nos despedaça o coração e que nos mói mesmo e que nos dá cabo do juízo. É preciso aceitar o amor e a morte, a separação e a tristeza, a falta de lógica, a falta de justiça, a falta de solução. Quantos problemas do mundo seriam menos pesados se tivessem apenas o peso que têm em si , isto é, se os livrássemos da carga que lhes damos, aceitando que não têm solução. 
Não adianta fugir com o rabo à seringa. Muitas vezes nem há seringa. Nem injecção. Nem remédio. Nem conhecimento certo da doença de que se padece. Muitas vezes só existe a agulha. 
Dizem-nos, para esquecer, para ocupar a cabeça, para trabalhar mais, para distrair a vista, para nos divertirmos mais, mas quanto mais conseguimos fugir, mais temos mais tarde de enfrentar. Fica tudo à nossa espera. Acumula-se-nos tudo na alma, fica tudo desarrumado. 
O esquecimento não tem arte. Os momentos de esquecimento, conseguidos com grande custo, com comprimidos e amigos e livros e copos, pagam-se depois em condoídas lembranças a dobrar. Para esquecer é preciso deixar correr o coração, de lembrança em lembrança, na esperança de ele se cansar."


Miguel Esteves Cardoso - Ultimo Volume



"Nos demais – eu sei,
qualquer um sabe -
o coração tem domicílio
no peito.
Comigo
a anatomia ficou louca.
Sou todo coração -
em todas as partes palpita."



Maiakóvski