"Sou como a haste fina que qualquer brisa verga, mas nenhuma espada corta."


Antes de julgar a minha vida ou o meu caráter, calce os meus sapatos e percorra o caminho que eu percorri, viva as minhas tristezas, as minhas dúvidas e as minhas alegrias. Percorra os anos que eu percorri, tropece onde eu tropecei e levante-se assim como eu fiz. E então, só aí poderás julgar. Cada um tem a sua própria história. Não compare a sua vida com a dos outros. Você não sabe como foi o caminho que eles tiveram que trilhar na vida.”


Eu disse que mudei. Nunca disse que tinha sido para melhor.


"Não julgue os outros só porque os pecados deles são diferentes dos seus."



quinta-feira, 24 de julho de 2014

Da tortura emocional gratuita.




"O perigo da perversidade é que ela é muito sutil. Um ser perverso jamais te atacará diretamente. Ele vai saborear cada silêncio calculado para despertar sua agonia. Ele vai tentar tolher seus lugares íntimos até que não reste qualquer espaço para manobras. Ele vai te seduzir da maneira mais irresistível e depois te tratar com um descaso inexplicável, como se algo de errado tivesse acontecido, mas sem te dar quaisquer indícios do que possa ter acontecido. Ele será carismático com os outros, prestativo, mas demonstrará impaciência em responder à sua mais simples pergunta. Ele vai oscilar entre o tesão e a indiferença. Você se sentirá desejada quando o sufoco tiver tomado toda a sua alma e, totalmente desamparada quando o desejo demonstrado parecer esvaído nos primeiros suspiros da manhã. E o dia seguinte se tornará um longo e agonizante ano. Ele parecerá espirituoso, depois irônico, mas estará sendo absurdamente crítico e sarcástico. E te deixará tão confusa que você, por momentos, não saberá identificar a crueldade que há neste tipo de comportamento. Os perversos são viciados em jogos de poder e controle. Não sabem o porquê. Simplesmente precisam tentar te destituir da sua autoconfiança e autoestima até que você se torne refém, dependente, à beira do desespero.

É muito difícil identificar um ser perverso e, depois se livrar dele. Ele te tratará com uma bipolaridade emocional absoluta. E quando tudo parecer perdido, quando você tiver decidido de maneira explícita sua escolha por um afastamento ou desligamento da relação, ele te rondará da maneira mais amorosa possível tentando te convencer que a falta de sintonia anterior era um problema seu. 
O perigo da perversidade é porque ela é muito sutil. E o único antídoto para se curar de uma relação doentia como esta é reunir toda a coragem que você jamais imaginou ter e partir com toda a convicção de que você não precisa continuar neste campo minado. Você pode escolher um lugar de paz. Você pode não ser presa de um predador voraz. Você não precisa se vestir de sangue para alimentar estes vampiros.
Esteja atenta. O perverso sempre parecerá um ser inofensivo e carismático. Com os outros. Apenas com os outros. E isto te deixará com uma imensa vontade de conquistar aquilo que ele fará questão de demonstrar que não está disponível para você."


Marla de Queiroz


quarta-feira, 23 de julho de 2014




" [...] enxugo uma lágrima quase inteira, uma dor e meia deita na cama mas, não irradia. [...] Sobrevivo de propósito."


Priscila Rôde




"A morte é onde mora a saudade." (Rubem Alves)


Posso viajar, dormir, acordar, comer, assistir tv, dormir de novo, acordar e chorar, chorar muito mas nada alivia a dor dessas perdas. Eu sei que essa dor nunca vai passar. Não tem um dia que eu não pense em vocês. 






terça-feira, 22 de julho de 2014

domingo, 13 de julho de 2014


Eu achava que tão cedo não passaria por tudo isso novamente  (menos de quatro meses e três perdas irreparáveis), estava animada com a viagem de férias, tudo estava serenando então acontece uma tragédia dessas. Do nada, sem mais, sem menos, meu tio querido, o neném e da minha vó, o meu tio mais alegre, divertido, companheiro, que estava toda semana visitando a gente, apesar de tudo pra ele tava sempre tudo bem, tudo ia dar certo, meu tio companheiro de bailes, meu companheiro na paixão por motos, companheiro da minha mãe, se vai....Como disse minha irmã ontem, "parece que todo mundo que ama a gente de verdade ta indo embora", eu ainda não consigo perguntar pra Deus o por quê... Só sinto que aquela ferida tão grande que estava começando a cicatrizar se abriu toda novamente e eu não sei mais o que fazer. Eu espero que a Vó e a Tia Nilza te recebam por ai meu tio querido e que tudo isso tenha um grande propósito na vida da minha família. Quero lembrar de você  assim, alegre, divertindo todo mundo, nós por aqui iremos cuidar da Lu e do Gustavo. Te amo Tio Narbal, obrigada por tudo.

sexta-feira, 11 de julho de 2014

terça-feira, 8 de julho de 2014

O que acontece no meio - MARTHA MEDEIROS


"No meio, a gente descobre que precisa guardar a senha não apenas do banco, mas a que nos revela a nós mesmos
Vida é o que existe entre o nascimento e a morte. O que acontece no meio é o que importa.
No meio, a gente descobre que sexo sem amor também vale a pena, mas é ginástica, não tem transcendência nenhuma. Que tudo o que faz você voltar pra casa de mãos abanando (sem uma emoção, um conhecimento, uma surpresa, uma paz, uma ideia) foi perda de tempo.
Que a primeira metade da vida é muito boa, mas da metade pro fim pode ser ainda melhor, se a gente aprendeu alguma coisa com os tropeços lá do início. Que o pensamento é uma aventura sem igual. Que é preciso abrir a nossa caixa preta de vez em quando, apesar do medo do que vamos encontrar lá dentro. Que maduro é aquele que mata no peito as vertigens e os espantos.
No meio, a gente descobre que sofremos mais com as coisas que imaginamos que estejam acontecendo do que com as que acontecem de fato. Que amar é lapidação, e não destruição. Que certos riscos compensam – o difícil é saber previamente quais. Que subir na vida é algo para se fazer sem pressa.
Que é preciso dar uma colher de chá para o acaso. Que tudo que é muito rápido pode ser bem frustrante. Que Veneza, Mykonos, Bali e Patagônia são lugares excitantes, mas que incrível mesmo é se sentir feliz dentro da própria casa. Que a vontade é quase sempre mais forte que a razão. Quase? Ora, é sempre mais forte.
No meio, a gente descobre que reconhecer um problema é o primeiro passo para resolvê-lo. Que é muito narcisista ficar se consumindo consigo próprio. Que todas as escolhas geram dúvida, todas. Que depois de lutar pelo direito de ser diferente, chega a bendita hora de se permitir a indiferença.
Que adultos se divertem muito mais do que os adolescentes. Que uma perda, qualquer perda, é um aperitivo da morte – mas não é a morte, que essa só acontece no fim, e ainda estamos falando do meio.
No meio, a gente descobre que precisa guardar a senha não apenas do banco e da caixa postal, mas a senha que nos revela a nós mesmos. Que passar pela vida à toa é um desperdício imperdoável. Que as mesmas coisas que nos exibem também nos escondem (escrever, por exemplo).
Que tocar na dor do outro exige delicadeza. Que ser feliz pode ser uma decisão, não apenas uma contingência. Que não é preciso se estressar tanto em busca do orgasmo, há outras coisas que também levam ao clímax: um poema, um gol, um show, um beijo.
No meio, a gente descobre que fazer a coisa certa é sempre um ato revolucionário. Que é mais produtivo agir do que reagir. Que a vida não oferece opção: ou você segue, ou você segue. Que a pior maneira de avaliar a si mesmo é se comparando com os demais. Que a verdadeira paz é aquela que nasce da verdade. E que harmonizar o que pensamos, sentimos e fazemos é um desafio que leva uma vida toda, esse meio todo."



sexta-feira, 4 de julho de 2014







"É a festa da torcida campeã"



"Vamos celebrar nossa bandeira
Nosso passado
De absurdos gloriosos
Tudo que é gratuito e feio
Tudo o que é normal
Vamos cantar juntos
O hino nacional
A lágrima é verdadeira"



Fica aqui minha indignação com a tragédia de BH e a morte violenta de uma jovem de 23 anos na minha cidade.


quinta-feira, 3 de julho de 2014


"Concedei-me Senhor, Serenidade necessária, para aceitar as coisas que não posso modificar, Coragem para modificar aquelas que posso e Sabedoria para distinguir umas das outras."




"QUANDO, nas horas de íntimo desgosto, o desalento te invadir a alma e as lágrimas te aflorarem aos olhos, busca-me: eu sou aquele que sabe sufocar-te o pranto e estancar-te as lágrimas;

QUANDO te julgares incompreendido dos que te circundam e vires que, em torno, a indiferença recrudesce, acerca-te de mim: eu sou a LUZ, sob cujos raios se aclaram a pureza de tuas intenções e a nobreza de teus sentimentos;

QUANDO se te extinguir o ânimo para arrostares as vicissitudes da vida e te achares na iminência de desfalecer, chama-me: eu sou a FORÇA capaz de remover-te as pedras dos caminhos e sobrepor-te às adversidades do mundo;

QUANDO, inclementes, te açoitarem os vendavais da sorte e já não souberes onde reclinar a cabeça, corre para junto de mim: eu sou o REFÚGIO, em cujo seio encontrarás guarida para o teu corpo e tranqüilidade para o teu espírito;

QUANDO te faltar a calma, nos momentos de maior aflição, e te considerares incapaz de conservar a serenidade de espírito, invoca-me: eu sou a PACIÊNCIA, que te faz vencer os transes mais dolorosos e triunfar das situações mais difíceis;

QUANDO te debateres nos paroxismos da dor e tiveres a alma ulcerada pelos abrolhos dos caminhos, grita por mim: eu sou o BÁLSAMO que te cicatriza as chagas e te minoram os padecimentos;

QUANDO o mundo te iludir com suas promessas falazes e perceberes que já ninguém pode inspirar-te confiança, vem a mim: eu sou a SINCERIDADE, que sabe corresponder à franqueza de tuas atitudes e à nobreza de teus ideais;

QUANDO a tristeza e a melancolia te povoarem o coração e tudo te causar aborrecimento, clama por mim: eu sou a ALEGRIA, que te insufla um alento novo e te faz conhecer os encantos de teu mundo interior;

QUANDO, um a um, te fenecerem os ideais mais belos e te sentires no auge do desespero, apela para mim: eu sou a ESPERANÇA, que te robustece a fé e te acalenta os sonhos;

QUANDO a impiedade recusar-se a relevar-te as faltas e experimentares a dureza do coração humano, procura-me: eu sou o PERDÃO, que te levanta o ânimo e promove a reabilitação de teu espírito;

QUANDO duvidares de tudo, até de tuas próprias convicções, e o cepticismo te avassalar a alma, recorre a mim: eu sou a CRENÇA, que te inunda de luz o entendimento e te habilita para a conquista da Felicidade;

QUANDO já não provares a sublimidade de uma afeição terna e sincera e te desiludires do sentimento de teu semelhante, aproxima-te de mim: eu sou a RENÚNCIA, que te ensina a olvidar a ingratidão dos homens e a esquecer a incompreensão do mundo;

E QUANDO, enfim, quiseres saber quem sou, pergunta ao riacho que murmura e ao pássaro que canta, à flor que desabrocha e à estrela que cintila, ao moço que espera e ao velho que recorda. Eu sou a dinâmica da vida, e a harmonia da Natureza: chamo-me AMOR, o remédio para todos os males que te atormentam o espírito.

Estende-me, pois, a tua mão, ó alma filha de minhalma, que eu te conduzirei, numa seqüência de êxtases e deslumbramentos, às serenas mansões do Infinito, sob a luz brilhante da Eternidade.


Rubens Costa Romanelli, In: O Primado do Espírito



quarta-feira, 2 de julho de 2014




"[...] como mãe gosta de um filho: orvalho de resflôr, valia que não se mede nem se pede - se recebe."

Guimarães Rosa - Corpo de Baile - Vol I 













"Porque só nos ama, só vai ficar até o fim, aquele que, depois da nossa utilidade, descobrir o nosso significado"




"Quer saber se você ama alguém? Pergunte a si mesmo, quem nesta vida que pode ficar inútil pra você sem que você sinta o desejo de jogá-lo fora. E é assim que nós descobrimos o significado do amor...
Só o amor nos dá condições de cuidar do outro até o fim! Feliz daquele que tem ao fim da vida, 
a graça de ser olhado nos olhos, e ouvir a fala que diz: Você não serve pra nada, mas eu não sei viver sem você!"



Fabio de Melo

terça-feira, 1 de julho de 2014


"Descobri aos 25 que discordo das teorias sobre os relacionamentos que li até os 24. Psicólogos, psicoterapeutas, psiquiatras e todos os psicos me já disseram que o segredo dos relacionamentos está nas concordâncias – gostar das mesmas músicas, dos mesmos livros, dos mesmos passeios. Hoje, mais do que saber, eu sinto que não. O que nos faz felizes, meu amor, é exatamente o que nos faz diferentes.
Demorou, demorou muito – quase demais – para que eu percebesse que o seu gosto por ficção científica pode conviver com as minhas manias de gostar mesmo é da realidade. Quase estraguei tudo antes de ver a beleza da nossa estante com Dan Abnet e Nelson Rodrigues, antes de olhar para a sua melancolia e perceber que ela cabia exatamente onde está toda a minha mania de ver o lado bom de tudo. Eu que amo quebra-cabeças nunca tinha pensado que duas peças exatamente iguais não se encaixam e não ficam próximas. As diferentes, sim.
Como diz essa música, meu amor, “você se apaixonou pelos erros”. E o maior deles talvez tenha sido apostar em relacionamentos que confundiam semelhança com monotonia. Enquanto neles eu apostava todas as minhas fichas no “eu também”, encontrei a minha felicidade exatamente no seu “eu não”.
Nunca foi fácil justificar as suas ausências em ocasiões sociais. Talvez porque a minha mania de agradar todo mundo não combina com a sua personalidade forte e com a sua crença de que é melhor dizer que não está a fim e pronto. O mundo que entenda. O mundo que compreenda que quando esse medo de viver bate, nós queremos mesmo ficar na cama admirando a mesma obra de arte, o mesmo gato que hoje é nosso, o mesmo mapa que a vida colocou no seu peito por prever que eu sempre gostei de caças ao tesouro.
“O que não pode evitar e não se pode escolher”, não é? As nossas discordâncias fazem, sim, com que sejamos diferentes. Não conheço seus amigos dos games, você não conhece meus parceiros de samba. Faço um milhão de coisas com um milhão de pessoas e você tem no gato a companhia mais constante. Eu admiro a sua solidão e você a minha multidão.
Descobri aos 25 que a convivência entre o seu mundo e o meu é muito mais importante do que a fusão em um só universo. Assim eu posso te visitar, você pode me ensinar e a gente sempre fica com saudades, porque o outro é algo que não encontramos dentro de nós."

Marina Melz

P.S No meu caso descobri isso tudo depois dos 35


domingo, 29 de junho de 2014


"Oração não é pedir. É um anseio da alma. É uma admissão diária das próprias fraquezas. É melhor na oração ter um coração sem palavras do que palavras sem um coração."

Mahatma Gandhi

"Eu não sou o que me falta."




Simplesmente maravilhoso!