"Sou como a haste fina que qualquer brisa verga, mas nenhuma espada corta."

Antes de julgar a minha vida ou o meu caráter, calce os meus sapatos e percorra o caminho que eu percorri, viva as minhas tristezas, as minhas dúvidas e as minhas alegrias. Percorra os anos que eu percorri, tropece onde eu tropecei e levante-se assim como eu fiz. E então, só aí poderás julgar. Cada um tem a sua própria história. Não compare a sua vida com a dos outros. Você não sabe como foi o caminho que eles tiveram que trilhar na vida.”

"Não julgue os outros só porque os pecados deles são diferentes dos seus."


Oração Diária _( Clique)

quinta-feira, 25 de maio de 2017


"Quando eu sou o foco do meu amor, não há o que temer: eu honro a minha existência. Eu paro de viver automaticamente. Quanto mais espontâneo sou, mais estou comprometido com o meu bem-estar natural, mesmo que as coisas não estejam correndo tão bem. Quando perco a autenticidade é porque tento ser apropriado para o Outro. Colocar-me como foco, pode parecer uma maneira egoísta de viver, mas até que eu aprenda a cuidar de mim com a mesma dedicação com que cuido de alguém, isso é absolutamente essencial.

Tornar-me o foco do meu amor é investir em mim doses cavalares de autoestima. Consigo ter um profundo respeito por tudo o que me ajudou a crescer sem supervalorizar a dor que isto possa ter me causado. Mesmo quando me sinto vulnerável isso não significa correr um risco grande demais, pois reconhecer o amor como um recurso interno é saber que posso acessá-lo sempre que necessário.

Quando eu sou o foco do meu amor, eu aceito que os meus erros e tentativas, às vezes, frustradas podem pontuar situações, mas jamais definir quem eu sou. Eu não negligencio minhas necessidades, pois identifico que abrir mão do que me limita ou machuca é também deixar que algo de bom aconteça. Quando eu sou o foco do meu amor, eu embarco numa jornada profunda e corajosa onde o sentimento deixa de ser uma palavra para se tornar uma preciosa e duradoura experiência.

Quando eu sou o foco do meu amor, o meu amor é próprio."



Marla de Queiros